Espaço do Grupo 5 - SETOR DE COSMÉTICOS
Participantes / e-mails


BRUNO RIEGER SALZANO - bsalzano@mattosfilho.com.br
EDIO SERAFIM FILHO - edio.serafim@itau-unibanco.com.br
PEDRO FELIPE ANGELINI - pedro.angelini@itautec.com
THIAGO PESSUTO BARBOZA - mathix@bol.com.br
VIRGINIA DUARTE NEHMI - virginianehmi@gmail.com
VITOR RYITI NAGATA - vitor@sparta.com.br

Última versão da apresentação:




Última versão do relatório:








Natura

external image natura.jpg

Empresa

Slogan: bem estar bem

Visão

A Natura, por seu comportamento empresarial, pela quantidade das relações que estabelece e por seus produtos e serviços, será uma marca de expressão mundial, identificada com a comunidade das pessoas que se comprometem com a construção de um mundo melhor através da melhor relação consigo mesmas, com o outro, com a natureza da qual fazem parte, com o todo.

Missão

Nossa Razão de Ser é criar e comercializar produtos e serviços que promovam o Bem-Estar/Estar Bem. Bem-Estar é a relação harmoniosa agradável do indivíduo consigo mesmo, com seu corpo. Estar Bem é a relação empática, bem-sucedida, prazerosa do indivíduo com o outro, com a natureza da qual faz parte, com o todo.

Setor de Cosméticos


Estudo setor

Empresas mais representativas no Brasil

- Natura

- Avon

- Procter & Gamble

- Unilever

- Boticário

- L´Oreal

- Johnson & Johnson

- Hypermarcas

- Beiersdorf (Nivea)

- Colgate - Palmolive

Fatores Chave do setor


As empresas dosetor de cosméticos devem estar constantemente acompanhando e influenciando a moda. Isso porque os cosméticos acompanham as tendências da moda e, consequentemente, dos gostos de seu público-alvo. Com o passar dos anos, há um aumento indiscutível na vaidade das pessoas e em sua preocupação com a forma como são vistas pelos demais. Uma boa aparência acaba sendo vital em uma proposta de emprego, na venda de um projeto e etc. E é justamente para fortalecer esse atributo que os cosméticos se tornam essenciais. O acompanhamento das mudanças na demografia do país onde a empresa de cosméticos está localizada também é essencial para o sucesso da companhia. Um aumento significativo na população feminina, por exemplo, altera substancialmente o foco do ramo de cosméticos. No mesmo sentido, o envelhecimento da população traz consigo uma preocupação, por exemplo, com o rejuvenescimento e fatores similares.

No outro pólo, as empresas de cosméticos devem se preocupar com a sustentabilidade de suas operações. A última década foi marcada pelo avanço das ONGs de proteção ambiental e de leis governamentais de proteção ao meio ambiente e desenvolvimento sustentável. Não são mais aceitos pela sociedade testes de cosméticos em animais, ou a obtenção de substâncias (matérias-primas) de origem não vegetal e, mesmo nessa última categoria, substâncias vegetais obtidas por desmatamento ou exploração de áreas não conservadas.

Por fim, por ser uma indústria cíclica, deve haver esforços no controle da demanda de determinados produtos. O aumento de vendas no inverno, frente à queda no verão, são exemplos de ciclos que devem ser monitorados pela empresa, juntamente com toda a sua cadeia de clientes e fornecedores. Um erro em tal controle traz problemas como queda nas vendas, estoque em excesso, problemas logísticos de obtenção de matéria-prima e entrega do produto final, e etc.


Características e tendências do ambiente operacional do setor


Como mencionado anteriormente, uma das mais importantes características do setor é sua intrínseca relação com os gostos de seu consumidor final e com as tendências da moda. Nesse sentido, a empresa deve possuir flexibilidade de criação e produção para acompanhar essas naturais variações de tendências. Uma estrutura hierárquica nas equipes de produção, por exemplo, quebram a criatividade e desestimulam o desenvolvimento dos funcionários. Equipes modulares, montadas para cada projeto específico, compostas por pessoas com características mais apropriadas a tal projeto, são as tendências mais visíveis para as empresas do ramo de cosméticos.

Características e tendências da Clientela


Como veremos abaixo, a Brasil é o terceiro maior mercado de cosméticos do mundo, e crescendo fortemente com o aumento do consumo das classes C, D e E. Além da grande população Brasileira, existe no mercado da Natura uma cultura de uso de cosméticos, que só não é mais difundida pelo baixo poder aquisitivo da população. Com o progresso econômico, os volumes vendidos neste mercado tendem a crescer nos próximos anos. De fato, nos últimos anos o crescimento do mercado tem sido pelo menos 4 pontos percentuais acima do crescimento do PIB

A clientela Brasileira também é bastante fisicamente dispersa, espalhada pelos 8,5 milhões de km². Para empresas que tendem a não dispor de redes de distribuição, apostando na venda direta por meio de consultores, existe um grande desafio logístico em fazer o produto chegar à mão do cliente. O gerenciamento e treinamento dos/as vendedores também é um desafio. Neste aspecto, a tendência é que, por um lado, por conta do crescimento do mercado, o desafio logístico se torne mais complexo. Por outro lado porém, o crescimento econômico também inclui estes pontos mais remotos em cadeias de distribuição e de comunicação nacionais, propiciando melhores ferramentas (correios, transportadoras, conexão com a internet, etc) no mesmo rítmo que os desafios aparecem.

Além do tamanho do mercado de cosméticos e sua dispersão, o Brasil trás mais um desafio para os players por conta da sua diversidade cultural. Produtos vendidos no sul/sudeste não necessariamente atendem as necessidades de outras regiões, seja por fatores climáticos (os produtos podem precisar de fórmulas diferentes por conta da temperatura ou umidade do ar diferente), seja por gosto (a fragrância que agrada um amazonense nem sempre é a mesma que agrada um carioca), ou até por fatores econômicos, já que em regiões menos abastadas, o consumidor precisará de embalagens menores pois não poderá gastar o mesmo valor com cosméticos que em regiões mais ricas.



Características e tendências da concorrência


Características
O mercado de cosméticos apresentou um substancial aumento de concorrência nos últimos anos. Este movimento pode ser evidenciado pelos investimentos agressivos em marketing realizados por Avon, Natura, Boticário entre outras. Uma ampla gama de novos produtos pode ser encontrada em diversos canais de distribuição. Estes canais por sua vez se apresentam cada vez de forma mais variadas. O tradicional canal varejista tem intensificado a oferta de produtos em diversos estabelecimentos, observa-se a grande expansão de cosmético em farmácias e drogarias. A venda direta representa grande parte das vendas no país impactando diretamente no custo de venda, o caso mais conhecido de venda direta é a Natura. Vale ressaltar que a concorrência no setor ocorre bastante em função de inovações e diferenciação de produtos, com a intensa dinâmica de lançamento de novos produtos as empresas precisam sempre ofertar produtos diferenciados e inovadores.
A valorização do real resulta na maior competitividade de produtos importados.
O tamanho do mercado brasileiro associado ao crescimento econômico e a taxa de câmbio são grandes atrativos para investimento no setor, o Brasil já se configura como principal consumidor da empresa americana Avon.

Tendências
Segundo especialistas, o mercado brasileiro será alvo de inúmeras empresas estrangeiras, a concorrência tende a se acirrar principalmente se não ocorrer uma desvalorização considerável do real. Estas empresas, a exemplo da francesa L'Occitane, tendem a investir também em produtos adaptados ao mercado nacional. Além dos tradicionais produtos já ofertados nos mercados desenvolvidos, novos produtos com matérias primas de origem brasileira deverão ser cada vez mais vistos no mercado, visando conseguir mercados nos mais diversos nichos de mercado.


Características e tendências do cenário econômico


Características
O mercado brasileiro de cosméticos e higiene pessoal se configura com um dos mais promissores do mundo. Durante os anos 2000 as vendas líquidas cresceram aproximadamente 25 bilhões de reais. O mercado mundial também apresentou crescimento acentuado, aproximadamente 5% ao ano no mesmo período, ultrapassando 330 bilhões de dólares a partir de 2008.
O Brasil ocupa o terceiro posto mercado mundial de comméticos, atrás apenas dos Estados Unidos e do Japão, a expectativa é de que o segundo posto seja alcançado a partir de 2010 . O bom crescimento econômico brasileiro dos últimos anos teve impacto direto no mercado de cosméticos, o aumento do poder de compra dos segmentos de baixa renda se configurou como grande destaque nos países emergentes. O acesso desta nova massa de consumidores demandou novos investimentos em produtos focados neste “nicho” de mercado. As empresas do setor tradicionalmente realizam grandes investimentos, lançando novos produtos todos os anos para acompanhar as tendências e necessidades dos consumidores, a Natura como bom exemplo lança, em média 100 novos produtos por ano.
A tabela abaixo ilustra o acentuado crescimento do setor no período comparando-o a indústria geral. Vale ressaltar também a forte relação entre este crescimento e o PIB, ocasionado principalmente pelo acesso de novos consumidores. A valorização do real também influenciou nos últimos anos na medida em que possibilitou o consumo e uso de matérias primas importadas.



Variação anual
PIB
Indústria Geral
Mercado Alvo (1)
2002
2,7%
2,7%
5,7%
2003
1,1%
0,1%
4,6%
2004
5,7%
8,3%
12,3%
2005
3,2%
3,1%
9,7%
2006
3,8%
2,8%
9,9%
2007
5,4%
4,9%
8,3%
2008
5,1%
4,3%
10,7%
CAGR 2002-2008
3,8%
3,7%
8,7%


Fonte: IBGE - Banco Central – Abihpec.
(1) Mercado-alvo: Cuidados com a Pele, Protetor Solar, Maquilagem, Perfumes, Fragrâncias, Cuidados para o cabelo, Creme de Barbear e Desodorantes. Não inclui Fraldas, Esmaltes para Unhas, Absorventes, Tinturas para Cabelos e
Higiene Oral.
||


Tendências
O mercado brasileiro apresenta grande potencial de expansão. Este potencial está amplamente relacionado às boas perspectivas para a economia brasileira nos próximos anos. O aumento do poder de compra da população, e em particular das classes sociais mais baixas (C, D e E), é fator preponderante neste aspecto uma vez que esta fatia de mercado corresponde a aproximadamente 80% da população brasileira.
Além disto, apesar do Brasil ser o terceiro mercado mundial, o setor ainda não se apresenta maduro. Os países emergentes em geral tem bom espaço para uma maior penetração no mercado assim como consolidar o consumo destes produtos com maior freqüência.
No Brasil outro fator pode potencializar o efeito do crescimento econômico, a grande diversidade demográfica e geográfica brasileira resulta na existência de diversos mercados com características diferentes. A demanda por produtos para o mercado do sul do país podem apresentar grande diferença para a demanda da região nordeste, por exemplo. Vale frisar também o potencial da região nordeste na medida em que ocorrerem incrementos de renda na região trazendo novos consumidores principalmente para a classe C.





Análise PESTEL

Political: Possíveis riscos relacionados a política industrial e comercial do país (diminuição de tarifas de importação podem trazer concorrentes internacionais, aumento de tarifas nas matérias primas importadas pode diminuir a competitividade). Regulamentação relacionadas à saúde podem aumentar os custos ou inviabilizar linhas inteiras de produtos.

Economic: Seu crescimento está diretamente ligado ao crescimento do poder de compra da população brasileira. Principalmente por atingir a classes média-baixa da população, uma economia aquecida como um todo possibilita um crescimento de faturamento. Também uma crise na economia, principalmente com relação a desemprego, afeta fortemente o público-alvo

Social: Além das mudanças socioeconômicas já citadas anteriormente, as mudanças de comportamento da sociedade, nas quais os homens são mais vaidosos (quebra de paradigmas) e acabam por utilizar também cosméticos, criam um mercado novo, inexplorado e com grande potencial de crescimento. Outra mudança de comportamento que afetou bastante a empresa é a saída a mulher ao mercado de trabalho, na qual ela possui menos tempo para consumir e para experimentar produtos. Isso influi diretamente no canal direto de vendas da empresa.

Technological: As vendas no canal direto feito por vendedoras em direto contato com consumidoras tende a mudar com o avanço das vendas por internet. Hoje as pessoas se informam através de foruns, blogs e outros veículos de comunicação (além de boca a boca) e realizam compras sem ver o produto fisicamente.

Relacionado com o avanço dos próprios produtos é de suma importância o aperfeiçoamento constante de seus produtos para acompanhar a demanda crescente por produtos de beleza, anti envelhecimento e etc, bem como se situar bem no cenário competitivo.

Environmental: possui um cadeia produtiva que independe diretamente de mudanças climáticas ou que é influenciado por adversidades ecológicas. Investimentos em produtos sustentáveis podem agregar valor e tem resultado em um bom retorno para empresas como a Natura.

Legal: Grande força de venda no canal direto, mas como não há contratos de trabalho não há possibilidade de influência de forças trabalhistas. Como é esta informalidade que possibilita esta força de venda de ser tão grande, uma possível alteração neste cenário alteraria as margens de lucro, aumentaria os custos trabalhistas e até inviabilizaria a grande dispersão de força de trabalho.



Mídia

Turner inaugura no Brasil TV in Context no canal TNT com campanha da Natura

A partir do dia 26 de novembro (sexta-feira), a Turner passa a veicular a campanha de perfumaria Amó da Natura Cosméticos, em filmes selecionados do canal TNT – como parte do novo produto chamado TV in Context. Trata-se de uma oportunidade inovadora de inserção publicitária desenvolvida pela equipe TURNER MEDIA + que permite a programação de comerciais contextualizados com alguma cena de um filme e/ou série. Ao longo de alguns destaques da programação de filmes do canal TNT serão feitas oito inserções de 30”. Criada pela agência PeraltaStrawberryFrog, a campanha inspira relações entre casais e, portanto, combina o slogan “qual o gesto que coloca o seu amor em movimento” com cenas de comédias românticas do canal, nos filmes “Alguém Tem Que Ceder”, “A Feiticeira”, “Hitch – Conselheiro Amoroso” e “O Amor Não Tira Férias”.
“Temos pesquisas que comprovam que a receptividade da mensagem publicitária adequada ao contexto do filme se torna muito mais eficaz”, diz Rafael Davini, Vice-Presidente de Vendas Publicitárias e Marketing da Turner International do Brasil e Turner Miami, México, Panamá e Colômbia. Por enquanto, a novidade estará disponível apenas para os canais TNT, Space e TCM. “Realizamos um trabalho em conjunto entre Turner, PeraltaStrawberryFrog e Cliente, selecionando os filmes e os momentos que melhor retratavam o conteúdo do comercial, o resultado final ficou excelente. Este novo formato permite uma retenção ainda maior sobre a mensagem da marca”, explica Jairo Soares, Vice-Presidente de Mídia.
De acordo com a diretora de unidade de negócios da Natura, Denise Figueiredo, Amó é uma marca que fala do amor de verdade, que não é ideal porque é possível. Do amor construído todos os dias, com nossos gestos. Do amor que cuida, seduz e surpreende; sem regras ou modelos, do jeito de cada um. “Esse projeto da TNT é pioneiro no Brasil e vai ao encontro com a inovação da marca e reflete como ela quer comunicar seus valores”, ressalta a diretora.
A Turner Broadcasting System, Inc., subsidiária da Time Warner Inc., é a maior produtora de notícias e entretenimento do mundo e líder na distribuição de programação para a indústria de televisão por assinatura. Em conjunto, os canais da Turner Broadcasting System Latin America, Inc. são os de maior audiência, os mais vistos e mais reconhecidos na América Latina.
Fonte: Portal Fator Brasil
Making of - Campanha Amó



As Empresas Mais Admiradas

As Empresas Mais Admiradas da Revista CartaCapital
external image maisadmiradas_11.jpg?w=364&h=257A edição 2010 da revista que premiou As Empresas Mais Admiradas no Brasil está nas bancas a partir desta quinta-feira 21. Saiba aqui a história dessa edição especial e as vencedoras deste ano:
O ranking das Mais Admiradas, que foi pesquisado entre junho e agosto deste ano, avaliou mais de 48 segmentos e tabulou mais de 1.100 entrevistas com executivos de empresas. Deste minucioso trabalho saíram os vencedores dos setores pesquisados e as 10 empresas e os 10 empresários mais admirados.
A premiação aconteceu na segunda-feira 18 com mais de 700 empresários que lotaram os salões do Rosa Rosarum para prestigiar o evento. Presentes, entre as autoridades, o próprio presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva e os ministros Guido Mantega, da Fazenda, Miguel Jorge, do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Orlando Silva, do Esporte e Carlos Eduardo Gabas da Previdência Social. Também prestigiaram a cerimônia, o ex-governador do Paraná e senador eleito Roberto Requião, o senador Eduardo Suplicy e os deputados Brizola Neto, Carlos Zarattini e André Vargas.
Na abertura do evento, discursou o diretor de Redação de CartaCapital, jornalista Mino Carta, que destacou os avanços obtidos no País nos últimos anos e comparou a gestão do presidente Lula com a de seu antecessor Fernando Henrique Cardoso. Mino reiterou o apoio da revista à candidata Dilma Rousseff, justificado pela necessidade de dar continuidade ao processo de desenvolvimento do País e de erradicação da miséria.
A Natura foi eleita a Empresa Mais Admirada do País e Roger Agnelli, o líder empresarial do ano.
Ao final da premiação, discursaram em nome dos empresários, Abílio Diniz, do Grupo Pão de Açúcar, e Roberto Setúbal, do Itaú.
O ponto alto da noite foi o discurso do presidente Lula, que, em tom de despedida, fez um balanço de sua gestão e afirmou que tinha a convicção de que deixaria o País numa situação extremamente favorável para seu sucessor


fonte:
- site natura: http://natura.infoinvest.com.br/
- portal exame: http://www.portalexame.com.br/
- Euromonitor consultoria: http://www.euromonitor.com/
- Valor Economico: http://www.valoronline.com.br/